Blog

O que é Mamografia?

Selective focus Thoughtful female doctor looking at the Mammogra

O que é Mamografia?

Escrito por: Maíra Kudo

A mamografia é um exame de raio-x com a finalidade de rastrear e identificar precocemente o câncer de mama. O seio é comprimido entre duas placas, uma responsável pela liberação dos raios-x e outra pela captação dos mesmos. Essa compressão é importante para que os raios-x percorram uma curta distância entre uma placa e outra, além de evidenciar estruturas da mama. É o exame mais utilizado devido a combinação de alta sensibilidade e especificidade, o que resulta em menores erros se interpretado corretamente. Nesse exame, são extraídas duas incidências de cada mama, a médio lateral oblíqua (MLO) que é a visão de cima, e a craniocaudal (CC), sendo a visão lateral. Com essas duas incidências, a área de exposição é aumentada, diminuindo os falsos positivos [1,2]. Normalmente, para descrever um tumor observado, este deve estar presente nas duas vistas.

Os resultados são dados a partir da análise anatômica da mama, assim como áreas mais densas, tipos de calcificações, microcalcificações, formato de tumores, linfonodos e fibroadenomas. A mama é composta por diferentes tipos de tecidos, cujas proporções resultam na classificação em densa, semi densa, adiposa ou semi adiposa. Quanto maior a densidade, menos raios-x conseguem atravessar o tecido, resultando na menor visibilidade da mamografia. Portanto, tumores e outras anomalias podem ficar escondidos, reduzindo a sensibilidade do exame. Nesses casos, poderá ser solicitado outras vistas além da MLO e CC, ou até um outro exame complementar como a ultrassonografia e a ressonância magnética [1].

Estudos mostram que falhas na interpretação do exame mostram-se frequentes. Esse problema pode ser associado aos diferentes treinamentos recebidos pelos radiologistas, ou até pelo ambiente de trabalho que são expostos. Fatores como a iluminação e a quantidade de análises feitas por dia podem interferir na percepção e tomada de decisão. Assim, métodos de processamento de imagens e inteligência artificial podem evidenciar e identificar anomalias, auxiliando os radiologistas e consequentemente, reduzir erros de diagnósticos, garantindo maior rapidez e precisão [3].

A mamografia de rastreio é utilizada em pacientes que não apresentam sintomas ou alterações mamárias, assim como evidências clínicas. Já a diagnóstica, é recomendada para pacientes com algum sintoma clínico e anormalidades, como dores e secreção ou alterações na pele. Os riscos do exame estão associados a exposição do paciente a radiação ionizante, porém sabe-se que essa taxa de radiação é mínima e compensa os benefícios do exame de detectar o câncer de mama precocemente [2].

[1] MAMMOGRAM. Bethesda: National Institute of Biomedical Imaging and Bioengineering, outubro 2017. Disponível em: https://www.nibib.nih.gov/science-education/science-topics/mammography. Acesso em: 4 maio 2020.

[2] HEYWANG-KÖBRUNNER, Sylvia H.; HACKER, Astrid; SEDLACEK, Stefan. Advantages and Disadvantages of Mammography Screening. Breast Care, Munich, v. 6, p. 199-207, 27 jun. 2011. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3132967. Acesso em: 4 maio 2020.

[3] EKPO, Ernest Usang; ALAKHRAS,  Maram; BRENNAN, Patrick. Errors in Mammography Cannot be Solved Through Technology Alone. Asian Pacific Journal of Cancer Prevention, Sydney, v. 19, p. 291-301, 13 jun. 2018. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC5980911/. Acesso em: 4 maio 2020.

[4] SEELY, J. M.; ALHASSAN, T. Screening for breast cancer in 2018? what should we be doing today?. Curr Oncol, Ottawa, v. 25, p. S115-S124, 13 jun. 2018. Disponível em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC6001765. Acesso em: 4 maio 2020.